links dos órgãos sanitários e RDC Anvisa para farmácias

Lista completa: órgãos sanitários, legislação farmacêutica e RDC Anvisa para farmácias

No dia a dia das farmácias e drogarias é preciso cumprir a legislação farmacêutica com diversas exigências dos órgãos sanitários que regulamentam o setor farmacêutico no Brasil. E muitas vezes o acesso às informações da RDC Anvisa, legislação dos órgãos sanitários são muito precárias por parte das agências reguladores e autarquias do ministério da saúde.

Isso tudo torna muito difícil saber onde encontrar os links para acessar os sites e documentos oficiais. Na maioria das vezes é extremamente trabalhoso conseguir encontrar na internet, dentro do próprio site do governo e dos órgãos sanitários.

É dificultoso encontrar o lugar que explica as regras do Programa Farmácia Popular; quais os medicamentos que possuem controle especial da Anvisa, qual a lista atualizada dos novos preços dos medicamentos; são só alguns exemplos de informações difíceis de serem encontradas na legislação farmacêutica.

Pensando em resolver esse problema, reunimos nesse artigo uma coleção completa com os principais links de acesso às informações vitais dos órgãos sanitários, legislação farmacêutica e RDC Anvisa que as farmácia e drogarias mais procuram na internet. Confira!   

Achamos que você também vai gostar de:

>> Glossário da Farmácia: Guia dos termos farmacêuticos mais falados

>> Guia Completo: Listamos todos os passos de como organizar uma farmácia

>> Guia Completo de Notificação de Receita para Dispensação em Farmácias e Drogarias

Agências e Órgãos Sanitários de Farmácia

O que é legislação farmacêutica?

As agências e órgãos sanitários são agentes reguladores que tem o papel de exercer a fiscalização e criar formas de controlar os produtos e serviços de interesse público, como por exemplo a saúde, de forma que garanta a segurança e acesso da população, ou seja, os órgãos sanitários são partes do governo que definem regras específicas para vários setores do mercado.

Ministério da Saúde

  • Ministério da Saúde – setor do governo responsável pela administração da saúde pública
  • Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) – Acesso as informações oficias publicadas pelo Ministério da Saúde
  • DATASUS – Portal da Saúde (informações públicas do Sistema Único de Saúde)
  • Farmacopeia Brasileira – Lista das informações técnicas e nomenclaturas das substâncias dos medicamentos
  • CNES – Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde

Agências e Órgãos Sanitários

  • CVS – Centro de Vigilância Sanitária: Órgão Coordenador do Sistema Estadual de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo

Conselhos de Farmácia

Além da legislação farmacêutica dos órgãos sanitários, existem os conselhos de farmácia, que podem ser de âmbito federal e estadual. Na esfera federal possui a responsabilidade de regulamentar e fiscalizar a atuação dos profissionais farmacêuticos.

Já na esfera estadual, são conhecidos como conselhos regionais, e possuem a missão de proteger os pacientes do uso dos medicamentos (com normas e determinações para os farmacêuticos), além de garantir o acesso a assistência farmacêutica

Conselhos Federais de Farmácia

Conselhos Regionais de Farmácia

  1. CRF-AC – Conselho Regional de Farmácia do Acre
  2. CRF-AL – Conselho Regional de Farmácia de Alagoas
  3. CRF-AP – Conselho Regional de Farmácia do Amapá
  4. CRF-AM – Conselho Regional de Farmácia do Estado do Amazonas
  5. CRF-BA – Conselho Regional de Farmácia do Estado da Bahia
  6. CRF-CE – Conselho Regional de Farmácia do Ceará
  7. CRF-DF – Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal
  8. CRF-ES – Conselho Regional de Farmácia do Espírito Santo
  9. CRF-GO – Conselho Regional de Farmácia do Estado de Goiás
  10. CRF-MA – Conselho Regional de Farmácia do Estado do Maranhão
  11. CRF-MT – Conselho Regional de Farmácia do Estado do Mato Grosso
  12. CRF-MS – Conselho Regional de Farmácia de Mato Grosso do Sul
  13. CRF-MG – Conselho Regional de Farmácia do Estado de Minas Gerais
  14. CRF-PA – Conselho Regional de Farmácia do Pará
  15. CRF-PB – Conselho Regional de Farmácia da Paraíba
  16. CRF-PR – Conselho Regional de Farmácia do Estado do Paraná
  17. CRF-PE – Conselho Regional de Farmácia do Estado de Pernambuco
  18. CRF-PI – Conselho Regional de Farmácia do Piauí
  19. CRF-RJ – Conselho Regional de Farmácia do Estado do Rio de Janeiro
  20. CRF-RN – Conselho Regional de Farmácia do Rio Grande do Norte
  21. CRF-RS – Conselho Regional de Farmácia do Rio Grande do Sul
  22. CRF-RO – Conselho Regional de Farmácia do Estado de Rondônia
  23. CRF-RR – Conselho Regional de Farmácia do Estado de Roraima
  24. CRF-SC – Conselho Regional de Farmácia do Estado de Santa Catarina
  25. CRF-SP – Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo
  26. CRF-SE – Conselho Regional de Farmácia do Estado de Sergipe
  27. CRF-TO – Conselho Regional de Farmácia do Tocantins

Associações e Organizações do Varejo Farmacêutico

  • ABRADILAN – Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos
  • ALANAC – Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais
  • ANFARMAG – Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais
  • FARMACAS – Associação Multimarcas de Farmácias
  • OPAS – Organização Pan-Americana da Saúde
  • SBAC – Sociedade Brasileira de Análises Clínicas
  • SBCC – Sociedade Brasileira de Citologia Clínica
  • SBRAFH – Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar
  • SINDUSFARMA – Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo
  • SOBRAVIME – Sociedade Brasileira de Vigilância de Medicamentos

Programas de Benefícios em Medicamentos (PBM)

Trata-se de acordos entre as empresas privadas e a indústria farmacêutica para proporcionar descontos para farmácias e drogarias dispensarem medicamentos para os consumidores finais que são vinculados com algum programa. O setor público também oferece alguns programas de descontos em medicamentos para a população carente.

eBook gratuito - Como escolher o colaborador para farmácia

>> Consulte o Guia PBM

Programas de Medicamentos Público – Farmácia Popular

>> Consulte o Guia da Farmácia Popular

Convênios e Programas de Benefícios Privados

  1. Portal da Drogaria – Transaction Centre (TRN)
  2. Pharma Lik Network Magagement
  3. Bem Estar / Vida Link – Plano de Medicamentos 
  4. Nosso Clube / Cosmos PRO – Rede Nossa Farma
  5. E-pharma – Gestão de Benefícios em Medicamentos
  6. Orizon – Defendendo a saúde
  7. Funcional Card – Health Tech
  8. PEC Febrafar – Programa de Estratégias Competitivas
  9. Object Pro – Programa de Relacionamento Contínuo

Controle de Medicamentos Especiais

Toda as movimentações de compras e vendas dos medicamentos de tarja preta, aqueles de classe terapêutica antimicrobiana e psicotrópica, devem ser enviadas pelo farmacêutico de 7 em 7 dias para a ANVISA através do SNGPC. Confira os link dos órgãos sanitários úteis para dispensação de controlados:

Modelos de Receita Eletrônica para Preenchimento

Se sua farmácia trabalha com receita digital, abaixo você tem acesso a lista de documentos de preenchimento para cumprir a legislação farmacêutica exigida pelos órgãos sanitários, assim você pode fazer a dispensação na farmácia:

Documentos e Emissão Fiscal

Além dos órgãos sanitários e legislação farmacêutica, a farmácia precisa ficar atenda nos órgãos referentes à emissão fiscal, abaixo estão os links mais úteis para consultar notas emitidas e obrigações fiscais:

  • Consulta de NFe – Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica
  • Receita Federal – Consulta de Situação Cadastral CNPJ
  • SINTEGRA – Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interestaduais com Mercadorias e Serviços

>> Consulte o Guia de Emissão Fiscal na Farmácia

Autoridades Certificadoras (AC) vinculadas à ICP-Brasil para solicitar certificado digital

Antes de realizar vendas, em muitos estados da federação as farmácia e drogarias precisam adquirir o certificado digital junto às autoridades certificadoras. Abaixo segue a lista das principais:

  1. SERPRO – Serviço Federal de Processamento de Dados
  2. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
  3. SERASA EXPERIAN
  4. RECEITA FEDERAL DO BRASIL
  5. CERTISIGN
  6. IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO
  7. AC JUS
  8. AC PR
  9. CASA DA MOEDA DO BRASIL
  10. VALID CERTIFICADORA DIGITAL
  11. SOLUTI CERTIFICAÇÃO DIGITAL
  12. AC DIGITALSIGN
  13. AC BOA VISTA
  14. MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES
  15. AC DEFESA
  16. AC SAFEWEB
  17. PRODEMGE

Lista das principais resoluções RDC Anvisa para Farmácias e Drogarias

Órgãos sanitários, legislação farmacêutica, leis, decretos, portarias, RDC Anvisa, RDC 44 e resoluções muitas vezes costumam ser confusas e acabam prejudicando as farmácias e drogarias no sentido de suas definições, nomenclaturas e determinações.

Apesar de serem muitas, elas têm sua importância na regulação do setor farmacêutico, estabelecendo diretrizes que garantem a segurança e padrão de qualidade perante produtos destinados à saúde da população.

Abaixo, reunimos num só lugar as principais Resoluções RDC Anvisa que os estabelecimentos farmacêuticos precisam conhecer da legislação farmacêutica, além disso trouxemos o link de acesso na íntegra para cada RDC Anvisa, assim você ganhará tempo quando precisar consultar cada uma delas nos órgãos sanitários.

Leis para farmácia

O que é uma Lei? A Lei é basicamente uma regra obrigatório estabelecida pelo poder legislativo, que força os indivíduos ou instituições, nesse caso especificamente farmácias e drogarias, cumprirem uma determinada ação para que seja mantida uma ordem na sociedade.

A seguir listamos as principais legislações farmacêuticas, Leis e quais órgãos sanitários que sua farmácia e drogaria precisam ficar atentas:

Lei nº 3.820, de 11 de novembro de 1960

Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Farmácia e de outras Providências.

Lei n° 5.991, de 17 de dezembro de 1973

Dispõe sobre o Controle Sanitário do Comércio de Drogas, Medicamentos, Insumos Farmacêuticos e Correlatos, e dá outras Providências.

Lei n° 6.360, de 23 de setembro de 1976

Dispõe sobre a Vigilância Sanitária a que ficam sujeitos os medicamentos, as drogas, os insumos farmacêuticos e correlatos, cosméticos, saneantes e outros produtos e outras providências.

Lei n° 8.080, de 19 de setembro de 1990

Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências.

Lei n° 9.782, de 26 de janeiro de 1999

Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e dá outras providências.

Lei n° 11.343, de 23 de agosto de 2006

Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas Sobre Drogas; prescreve medidas para prevenção do uso indevido, atenção e reinserção social de usuários e dependentes de drogas; estabelece normas para repressão a produção não autorizada e ao tráfico ilícito de drogas; define crimes e das outras providências.

Lei nº 13.021, de 8 de agosto de 2014

Dispõe sobre o exercício e a fiscalização das atividades farmacêuticas.

Decretos para Drogarias

O que é um Decreto? O decreto é um tipo de norma que somente o chefe do poder executivo pode determinar, isto é, somente o presidente da república pode emitir um decreto. O decreto não cria novas leis, ele apenas detalha melhor as regras já existentes, tornando mais claro uma determinada lei, por exemplo.

Veja os principais decretos dos órgãos sanitários que os estabelecimentos farmacêuticos precisam ficar atentos:  

Decreto n° 79.094, de 5 de janeiro de 1977

Regulamenta a lei 6.360, de 23 de setembro de 1976, que submete a sistema de vigilância sanitária os medicamentos, insumos farmacêuticos, drogas, correlatos, cosméticos, produtos de higiene, saneantes e outros.

Decreto n° 74.170, de 10 de junho de 1974

Regulamenta a lei 5.991, de 17 de dezembro de 1973, que dispõe sobre o controle sanitário do comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos.

Decreto nº 85.878, de 7 de abril de 1981

Estabelece normas para execução da Lei nº 3.820, de 11 de novembro de 1960, sobre o exercício da profissão de farmacêutico e de outras providências.

Instruções normativas para farmácias

O que é uma Instrução Normativa? Ela é basicamente um documento emitido por uma instituição com objetivo de ordenar um processo administrativo interno, ou seja, a Instrução Normativa estabelece diretrizes e métodos específicos que devem ser seguidos na legislação farmacêutica.

Veja abaixo as principais Instruções Normativas dos órgãos sanitários destinadas para farmácias e drogarias:

Instrução Normativa nº 11, de 31 de outubro de 2007

Dispõe sobre orientação de procedimentos para implementação e cumprimento da Resolução da Diretoria Colegiada – RDC n.º 27, de 2007.

Instrução Normativa nº 07, de 24 de abril de 2007

Aprova o padrão SNGPC para transmissão de dados referente ao módulo para Farmácias e Drogarias.

Resoluções RDC Anvisa

O que é uma Resolução RDC? RDC é a sigla para Resolução da Diretoria Colegiada, que se trata de normas regulatórias que detalham as responsabilidades, atribuições para as empresas e profissionais que trabalham diretamente com a saúde, garantindo que os produtos e serviços prestados à população tenham padrão de segurança e qualidade.

As farmácias ou drogarias precisam seguir as normas dos órgãos sanitários que constam nas RDC Anvisa, abaixo listamos as principais delas da legislação farmacêutica:

Resolução RDC n° 27, de 30 de março de 2007

Dispõe sobre o Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados – SNGPC, estabelece a implantação do módulo para drogarias e farmácias e dá outras providências.

Resolução RDC nº 58, de 5 setembro de 2007

Dispõe sobre o aperfeiçoamento do controle e fiscalização de substâncias psicotrópicas anorexígenas e dá outras providências.

Resolução RDC nº 76, de 31 de outubro de 2008

Dispõe sobre orientação de procedimentos relacionados ao credenciamento ao SNGPC para implementação da Resolução da Diretoria Colegiada – RDC n.º 27, de 2007.

Resolução RDC nº 44, de 17 de agosto de 2009

Dispõe sobre Boas Práticas Farmacêuticas para o controle sanitário do funcionamento, da dispensação e da comercialização de produtos e da prestação de serviços farmacêuticos em farmácias e drogarias e dá outras providências

Resolução RDC n° 11, de 22 de março de 2011

Dispõe sobre o controle de da substância Talidomida e do medicamento que a contenha.

Resolução RDC nº 36, de 03 de agosto de 2011

Atualizar o Anexo I, Listas de Substâncias Entorpecentes, Psicotrópicas, Precursoras e Outras sob Controle Especial, da Portaria SVS/MS nº 344, de 12 de maio de 1998.

Resolução RDC n° 52, de 06 de outubro de 2011

Dispõe sobre a proibição do uso das substâncias anfepramona, femproporex e mazindol, seus sais e isômeros, bem como intermediários e medidas de controle da prescrição e dispensação de medicamentos que contenham a substância sibutramina, seus sais e isômeros, bem como intermediários e dá outras providências.

Resolução nº 577, de 25 de julho de 2013

Dispõe sobre a direção técnica ou responsabilidade técnica de empresas ou estabelecimentos que dispensam, comercializam, fornecem e distribuem produtos farmacêuticos, cosméticos e produtos para a saúde

Resolução nº 585, de 29 de agosto de 2013

Ementa: Regulamenta as atribuições clínicas do farmacêutico e dá outras providências

Resolução nº 586, de 29 de agosto de 2013

Regula a prescrição farmacêutica e dá outras providências

Resolução nº 596, de 21 de fevereiro de 2014

Dispõe sobre o Código de Ética Farmacêutica, o Código de Processo Ético e estabelece as infrações e as regras de aplicação das sanções disciplinares

Resolução Nº 654, de 22 de fevereiro de 2018

Dispõe sobre os requisitos necessários à prestação do serviço de vacinação pelo farmacêutico e dá outras providências

Resoluções do Conselho Federal de Farmácia (CFF) – Áreas de Atuação do Farmacêutico

Áreas de Atuação do FarmacêuticoResoluções nº
Acupuntura516, 639
Administração de laboratório clínico520
Administração farmacêutica449, 619
Administração hospitalar354, 449, 492, 568, 619
Alimentos520, 530, 538, 661
Análises clínicas296, 303, 304, 307, 350, 359, 361, 372, 442, 485, 493, 508, 520, 599
Assistência domiciliar em equipes multidisciplinares386
Atendimento pré-hospitalar de urgência e emergência354, 568
Assistência técnica farmacêutica em distribuidoras365, 433, 515, 555
Atendimento a pessoa com deficiência662
Auditoria farmacêutica508, 641
Bacteriologia clínica442, 520
Banco de cordão umbilical372
Banco de leite humano339
Banco de sangue372
Banco de Sêmen350
Banco de órgãos382
Biologia molecular306, 442
Bioquímica clínica442, 520
Bromatologia520
Citologia clínica179, 358, 401, 414, 442, 520, 536
Citopatologia401, 414, 536
Citoquímica359
Comissão de Farmácia e Terapêutica449, 619
Controle de qualidade e tratamento de água, potabilidade e controle ambiental295, 463
Controle de vetores e pragas urbanas383
Cosmetologia406, 479, 538
Ensino580, 581, 582, 589, 590, 591, 592, 610, 643, 644
Exames de DNA271
Farmacêutico na análise físico-química do solo457
Farmácia antroposófica308, 465
Farmácia clínica308, 499, 505, 585, 586, 602
Farmácia comunitária308, 357, 416, 499, 505, 577,586, 597, 602
Farmácia-escola308, 480
Farmácia homeopática176, 308, 440, 576, 601, 611, 635
Farmácia hospitalar292, 308, 354, 492, 568, 585, 586, 617, 619, 624, 666
Farmácia industrial387, 406, 448, 463, 504, 509, 530, 538, 584, 621
Farmácia magistral308, 440, 467, 479, 499, 505, 576, 602, 625
Farmácia nuclear (radiofarmácia)486, 656
Farmácia oncológica288, 308, 492, 565, 568, 623, 640
Farmácia pública308, 449, 499, 505, 602, 619
Farmácia veterinária499, 505, 602
Farmacocinética clínica509
Farmacoepidemiologia449, 619
Fitoterapia477
Fracionamento de medicamentos437
Gases e misturas de uso terapêutico470
Genética humana303, 304, 381, 570
Gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde415
Gestão de produtos para saúde549
Hematologia clínica442, 520
Hemoterapia279, 500, 617
Histoquímica359
Imunocitoquímica359
Imunogenética e histocompatibilidade304, 381
Imunohistoquímica359
Imunologia clínica442, 520, 572
Imunopatologia (RESOLUÇÕES Nºs )520, 572
Inscrição, Registro, Cancelamento e Baixa638, 651
Logística e transporte365, 433, 515, 577, 626
Meio ambiente, segurança no trabalho e saúde ocupacional481
Micologia clínica520, 572
Microbiologia clínica442, 572
Nutrição parenteral247, 292
Parasitologia clínica442, 520, 572
Práticas Integrativas e Complementares516, 576, 611, 622, 635
Prescrição586
Publicidade658
Radiofarmácia 486, 656
Saúde estética573, 616, 645, 669
Saúde indígena649
Saúde pública449, 520, 578, 619, 649
Suplementos alimentares661
Toxicologia clínica307, 520
Toxicologia ambiental307, 520
Toxicologia de alimentos307, 520
Toxicologia desportiva307, 520
Toxicologia farmacêutica307, 520
Toxicologia forense307, 520
Toxicologia ocupacional307, 520
Toxicologia veterinária307, 442, 504, 520
Transporte de medicamentos433, 577, 626
Vacinas654
Vigilância sanitária495, 539
Virologia clínica442,520, 572

Portarias referentes à farmácias

O que é uma portaria? É um ato administrativo interno proferido por chefes de órgãos ou repartições públicas (ANVISA, Ministério da Saúde). Ela é usada para determinar designar abertura de processos administrativos internos ou ainda determinações gerais.

A seguir confira as principais portarias dos órgãos sanitários que sua farmácia precisa ficar atenda na legislação farmacêutica:  

Portaria n° 344, de 12 de maio de 1998

Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.

Portaria n° 6, de 29 de janeiro de 1999

Aprova a Instrução Normativa da Portaria SVS/MS nº 344 de 12 de maio de 1998 que instituiu o Regulamento Técnico das substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.

Conclusão

É inegável que existe muita burocracia dos órgãos sanitários quanto à legislação farmacêutica no varejo de medicamentos, que de certa forma acaba travando o crescimento da atividade no país, mas por outro lado são por meio das leis, decretos, portarias e resolução RDC da Avisa que estabelecem e garantem a segurança e qualidade no trato com produtos destinado à saúde.

Por isso a necessidade das informações dos órgãos sanitários serem mais transparentes e que seja de fácil acesso a legislação farmacêutica para as farmácias e drogarias de todo o país. Contudo, são muitos caminhos tortuosos e links obscuros dentro da internet para encontrar o endereço que leva exatamente para o portal ou documento requisitado, que nem todos os colaboradores possuem a destreza e habilidade técnica para encontrarem.  

Se você gostou desse artigo que traz o acesso fácil para a legislação farmacêutica, inscreva no nosso Canal do YouTube e siga nossas páginas do Facebook e Instagram! Lá você encontra muito mais conteúdo sobre gestão e varejo farmacêutico. Garanto que você vai aproveitar muita coisa!

Conheça também nossas soluções para farmácias e drogarias, fale agora mesmo com um especialista, chame no WhatsApp!

fale agora com o consultor inovafarma
Compartilhar
Compartilhar
Twittar
Pin