3 verdades que ninguém te fala sobre a Gestão de Produtos da sua farmácia

Sem tempo para ler o artigo: 3 verdades que ninguém te fala sobre a Gestão de Produtos da sua farmácia?

Dê play e escute agora mesmo!

Você entra em qualquer loja e logo encontra o produto que estava procurando? Tem que ficar pedindo ajuda para algum funcionário? Se isso está acontecendo na sua farmácia, sinto lhe dizer, mas você não está sabendo fazer uma boa Gestão de Produtos.

Como já deu para notar a Gestão de Produtos envolve estratégias da Gestão de Categorias, isto é, a experiência de compra que é gerada no consumidor pela forma de expor os itens. E porque você deveria olhar com certo “carinho” para isso?

Muito simples: se os seus clientes têm dificuldade para localizar qualquer produto dentro da sua farmácia, ou então eles não são atrativos o suficiente para que as pessoas entrem na farmácia, isso fará cair drasticamente a probabilidade da venda ser de fato efetivada.

Em rotinas cada vez mais aceleradas, as pessoas estão menos interessadas em perder tempo procurando algo, quando podem encontrar facilmente em outro lugar.

Recomendado para você:

7 dicas para otimizar o recebimento e armazenamento de mercadorias

Como lidar com a concorrência no comércio varejista de farmácias?

Software para farmácias: saiba como escolher a melhor opção

E não é só o caixa da farmácia que é afetado por uma má gestão dos produtos, muito pelo contrário. Quando os produtos não possuem uma ordem bem definida fica até mesmo difícil para os próprios colaboradores da farmácia executarem suas tarefas diárias.

Imagina só o dinheiro que é jogado no lixo toda vez que seu colaborador fica perdendo tempo tentando encontra um produto na prateleira, para mudar a etiqueta de preço. Parece ridículo, mas vá somando essa perca de tempo dia a dia, mês a mês. Fez as contas? Percebe que parte do tempo do seu colaborador poderia ser mais bem aproveitado, como por exemplo realizando uma venda?

Sem contar que a parte estética e visual também fica muito comprometida. Você gosta de ficar em um local apertado, abarrotado de coisas por todos os lados? Pois é, imagina então os seus clientes. Bem, creio que tudo que já mencionei até aqui provavelmente não seja lá muita novidade para você (assim espero!). Porém listamos 3 aspectos que costumam passar desapercebidos sobre uma boa Gestão de Produtos. Vamos a eles:     

Sua farmácia oferece produtos que ninguém compra?

Sabe aquela velha história dos distribuidores: “Se você comprar X quantidade do produto Y, eu te dou mais X descontos nesse outro produto!” Quem nunca passou por isso quando foi negociar um pedido de compra? Se ainda não passou, aguarde que esse dia irá chegar…

Essa situação é muito comum e acaba inflando o estoque da farmácia com produtos que tem pouco fluxo de saída no mercado. E quando a data de validade está próxima, você é obrigado a “queimar” tudo.

Ebook Controle Caixa de Farmacia - 3 verdades que ninguém te fala sobre a Gestão de Produtos da sua farmácia

E o que isso influi na Gestão de Produtos? Não faz sentido você ocupar espaço das suas prateleiras com produtos que os seus clientes não estão interessados. Simplesmente esses itens estão ocupando o lugar de outros produtos muito mais vantajosos para a sua farmácia.

Daí a importância de você saber definir muito bem o mix de produtos que fará parte da sua estratégia de vendas. Mas antes é claro, é bom saber o que as pessoas que entram na sua farmácia querem comprar.

Já se perguntou o motivo do seu concorrente vender tão bem? Pode ser que ele fez a “lição de casa” e sabe muito bem as preferências dos seus consumidores. Só isso? É. De tão simples, muitos deixam de fazer e depois pagam consultores para lhe dizerem exatamente isso que você acabou de ler agora.   

Exponha os produtos conforme a necessidade do seu consumidor e não das suas!

Você sabe verdadeiramente quem são as pessoas que compram na sua farmácia? O seu público-alvo? Isso é de extrema importância e serve para traçar muitas estratégias, como a exposição dos produtos. Concorda comigo que um público mais idoso possui prioridades distintas de um público mais jovem? Isso reflete diretamente na forma como será planejado a localização de cada produto.

Após você fazer a constatação do seu público-alvo, elenque suas prioridades, dos produtos mais importante para os menos importantes. A dica é utilizar o próprio sistema de gestão da farmácia para fazer esse tipo de levantamento. Assim você consegue agrupar os produtos por categorias e organizá-los de modo que seus consumidores encontrem facilmente os produtos que vão atender suas necessidades.   

Por exemplo, se a maioria dos frequentadores da sua farmácia são pessoas mais idosas, deixe bem visíveis opções como fraldas geriátricas, almofadas térmicas e fixadores de dentadura. Esses produtos podem ser atrativos e chamar muito mais a atenção para a compra, do que se ficassem mais afastados atrás de outros itens nas prateleiras.

O seu mobiliário pode estar inadequado e você ainda não percebeu isso!

Sabia que existe uma taxa de depreciação para o mobiliário da farmácia? Vale a pena consultar o escritório de contabilidade e procurar mais informações. Pois essa taxa de depreciação dever ser calculada e amortizada em suas margens de lucro. Ou seja, o valor que você investiu para equipar sua farmácia deve ser retornado para você antes que o tempo de depreciação aconteça. Se você fizer isso, ao final do período de depreciação seu caixa terá o valor para comprar novos mobiliários mais modernos.

Outra estratégia que você também pode usar para renovar o mobiliário é barganhar com as distribuidoras e laboratórios espaços na sua farmácia para expositores de terceiros. Assim você garante a constante modernização do ambiente sem ter altos custos de investimento.

Porém mesmo com mobiliário atual você tem que prestar atenção na forma de expor os produtos. Com ajustes pontuais é possível rejuvenescer muitos espaços. Uma maneira de fazer isso é ter uma boa iluminação, de preferência com luzes de LED (que vão de poupar consumo elétrico) e brancas.

Outra sacada é manter os produtos sem espaços vazios, pois isso dá a impressão ao consumidor de falta em estoque. Também não coloque quantidades excessivas, pois a impressão será que os produtos estão “encalhados”. E uma última dica é manter os produtos mais procurados na altura dos olhos, de fácil alcance das pessoas.   

 —

A Gestão de Produtos vai muito mais além disso tudo. O intuito aqui foi listar os aspectos mais básicos, porém cruciais, que muitos costumam ignorar. Garanto que se você colocar em prática, agora mesmo na sua farmácia, irá notar em pouco tempo a diferença nos resultados das vendas.

Preencha o formulário nessa página e fale agora mesmo com um especialista para conhecer nossas soluções para sua farmácia que vão ajudar com a Gestão de Produtos.

Gostou do assunto desse artigo? Se inscreva no nosso Canal do YouTube e siga nossa página do Facebook para ter mais conteúdos como esse!

fotoperfil2019 - 3 verdades que ninguém te fala sobre a Gestão de Produtos da sua farmácia

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *