fbpx

Saiba como orientar os foliões que abusam da automedicação no carnaval

No mês de fevereiro, durante o feriado prolongado as pessoas abusam da automedicação no carnaval. Isso faz um aumento significativo de venda nas farmácias. Os foliões vão em busca de medicamentos para aliviar os excessos praticados na data festiva.

O abuso de bebidas alcoólicas, dores e fadigas no corpo, queimação no estômago são os efeitos mais comuns dessa época. Alguns medicamentos isentos de prescrição, como analgésicos, anti-inflamatórios e antiácidos, são os que tem maior procura, além dos anticoncepcionais.

>>Recomendado para você:

Veja como 3 simples ações fazem sua farmácia ganhar mais dinheiro no carnaval

3 atitudes poderosas para a farmácia aumentar as vendas com o carnaval

Saiba como aproveitar a páscoa para sua farmácia vender mais produtos

Apesar desses medicamentos não exigirem receita médica, o uso indiscriminado e automedicação no carnaval pode causar sérias complicações ao indivíduo.

As pessoas normalmente se esquecem de tomar as doses adequadas, nos intervalos de tempo corretos, e ainda misturam com outros medicamentos. Isso tudo vêm a causar intoxicações e efeitos indesejáveis no organismo, acabando literalmente com a festa.

Os medicamentos analgésicos, muito utilizados para combater as ressacas, quando misturados com álcool, causam perda de coordenação motora, tontura e diminuição dos reflexos.

Já os anti-inflamatórios quando ingeridos com álcool, causam danos ao fígado. Segundo dados da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a cada 1 hora, 3 pessoas são intoxicadas pelo uso indiscriminado de medicamentos.

Sua farmácia está preparada para aproveitar a “folia de vendas” do carnaval?

Por outro lado, as farmácias também tentam aproveitar ao máximo o período festivo; oferecem “Kits Carnaval” aos clientes. Essa prática, infelizmente vem se tornando cada vez mais comum no mercado farmacêutico, mesmo sendo considerada um abuso.

De acordo com RDC 96/08:

“Os medicamentos são bens de saúde e não mercadorias que possam ser oferecidas da mesma maneira que outros produtos sujeitos às regras do livre mercado”.

“O uso de qualquer informação, imagem e outros argumentos de cunho publicitário que não tenham esse propósito. Ou seja, que possam induzir o uso incorreto que estimulem a administração do medicamento por pessoas de faixas etárias para as quais o medicamento é contraindicado ou, ainda, que banalizem o uso do medicamento para qualquer situação; caracterizam a propaganda como estimuladora do uso indiscriminado de medicamentos, o que é proibido pelas normas sanitárias.”

A venda desse tipo de kit, induz a automedicação e ao consumo exagerado dos medicamentos, aumentando as chances da pessoa sofrer algum efeito colateral.

O Conselho de Farmácia orienta ao profissional farmacêutico prestar os devidos esclarecimento quanto ao uso de qualquer tipo de medicamento, sobretudo aqueles isentos de prescrição, que são vistos pelos consumidores como inofensivos.

—-

Nesse momento festivo a farmácia pode aumentar suas vendas com o aumento da procura por medicamentos. Porém deve sempre manter a ética e responsabilidade com a saúde pública, fornecendo orientações e não permitindo a comercialização de medicamentos sem receita.

Quer ter acesso a vários conteúdos que vão te ajudar no seu negócio? Então se inscreva no nosso Canal do YouTube e siga nossa página do Facebook!

Ebook Marketing Sensorial - Saiba como orientar os foliões que abusam da automedicação no carnaval

Preencha o formulário nessa página e fale agora mesmo com um especialista para conhecer nossas soluções para sua farmácia.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: