fbpx

Lista com #10 hacks mais usados pelas farmácias e drogarias na formação de preço de venda

Sem tempo para ler o artigo Lista com #10 hacks mais usados pelas farmácias e drogarias na formação de preço de venda?

Dê play e escute agora mesmo!

A formação de preço de venda dos medicamentos não costuma ser uma tarefa muito fácil para os donos e gestores de farmácias. Como precificar um produto exige uma série de conceitos financeiros e informações de mercado são necessários para realizar esse processo.

Muitas vezes essa função acaba sendo delegada para pessoas de pouco preparo que não possuem o conhecimento prático suficiente para realizar uma boa precificação. O resultado? A lucratividade da farmácia em queda.

Felizmente existem algumas técnicas simples que podem fazer a diferença quando usadas da forma correta. No artigo dessa semana reunimos os 10 hacks mais utilizados pelas farmácias e drogarias para garantir uma precificação assertiva. Continue a leitura para conferir!    

>> Leia também:

Atualização de preço: listamos tudo o que sua farmácia precisa saber sobre o preço de medicamento

Formação de preço: reunimos tudo de mais importante que você realmente precisa saber!

Precificação inteligente: mais lucro para a sua farmácia!

#1 Seguir o preço sugerido pela indústria farmacêutica

Manter o preço conforme a tabela de preço dos medicamentos que é orientado pelo seu distribuidor pode ser uma ótima alternativa para precificar os produtos. Isso se deve pelo fato do interesse dos grandes laboratórios em vender seus produtos que estão em destaque em campanhas publicitárias.

Mesmo com essa estratégia é sempre bom verificar as características da sua região onde sua farmácia atua, pois os preços sugeridos podem ser insuficientes para gerar uma boa margem de lucro.

#2 Aplique técnicas de Copywriting

Resumidamente Copywriting são técnicas de escrita persuasiva que fazem as pessoas realizarem uma ação pré-determinada. Trazendo isso para a sua farmácia, podemos utilizar a técnica da especificidade ao precificar os produtos.

Na prática, ao invés de você colocar o preço de R$10.00, coloque R$9,97 ou então R$9,99. Essa mudança causa um efeito na cabeça do consumidor, que olha primeiro para o número da esquerda, e inconsistentemente tem a sensação de que não está pagando R$10 mas sim R$9, ou seja, os outros centavos passam desapercebidos, aumentando as chances de comprar o produto.   

#3 Use a técnica da ancoragem de preço

É muito mais fácil vender um produto quando o consumidor tem outro da mesma categoria para comparar. A técnica da ancoragem consiste em estabelecer comparação de preço.

Por exemplo: Um mesmo produto de 3 laboratórios diferentes: o primeiro é vendido a R$19.99, o segundo a R$ 17.99 e o último sai por R$11.99.

Veja que agora o consumidor tem a impressão que o terceiro produto é bem mais barato e tem a certeza de estar fazendo um ótimo negócio. Porém na realidade os 3 produtos saem pelo mesmo preço de R$11.99. Você apenas ancorou o terceiro produto nos outros dois para dar a percepção de um menor preço.    

#4 Faça parte de redes cooperativas

Já ouviu falar em compras coletivas? O conceito não é novo e já é adotado por várias farmácias para tentar combater as grandes redes de farmácias. Funcionada da seguinte forma: várias farmácias de uma mesma cidade ou região se juntam para fazer um único pedido de compra.

Promocao Curso Gratis na Universidade - Lista com #10 hacks mais usados pelas farmácias e drogarias na formação de preço de venda

Dessa forma elas ganham poder de barganha com o distribuidor, devido a quantidade de produtos ser muito alta, é possível conseguir bons descontos, impactando no preço final do produto ao consumidor.

#5 Ofereça diferenciais ao consumidor

Se a sua farmácia não participa de redes cooperativas e não possui condições de lidar com o preço baixo da concorrência, então procure destacar outros pontos da farmácia que vão agregar valor para os consumidores. Na maioria das vezes, dependendo o público, o preço não é fator decisivo de compra.

Por exemplo: existem pessoas que prezam pela praticidade de um estacionamento, outras querem um ambiente agradável, há quem busque por pequenos serviços ambulatoriais (aferição de pressão, assistência farmacêutica, orientações, aplicação de injetáveis, etc). Procure ter alternativas e não foque somente no preço dos produtos.

#6 Promova a compra de outros produtos sem dar descontos financeiros

Dependendo da formação do preço do produto, já é calculado o percentual de desconto que é possível oferecer aos clientes sem prejudicar a margem de lucro. É muito comum as farmácias optarem por oferecer descontos se cliente comprar um segundo ou terceiro produto. “Na compra de um xampu da marca X, ganhe 20% no condicionador Y.” Ao invés de fazer isso, você pode transformar esse desconto em um produto.

Por exemplo:

Se o cliente comprar um produto que custa R$49.99 ele “leva de graça” um outro produto de R$9.99. Repare que o desconto continua sendo os mesmos 20% (R$49.99 x 20% = R$9.99).

E qual a vantagem de fazer isso? Você pode “desencalhar” do estoque os produtos que não tem grande saída e estão próximos do vencimento e ainda sim garantir um bom lucro.      

#7 Preço baixo não é sinônimo de venda

Julgar que todo cliente quer pagar sempre o menor preço é um erro clássico cometido pelas farmácias. Tudo vai depender do tipo de público-alvo que você quer atingir. Basicamente, quando o consumidortem muita informação sobre o produto que quer comprar ou esse produto for de primeira necessidade, mais o preço será decisivo.

Agora quando o cliente tem pouca ou nenhuma informação sobre o quer comprar ou o produto não é tão essencial, o preço será mais irrelevante na decisão de compra. Ter essa percepção é fundamental para que você possa fazer o sortimento correto do mix de produtos oferecidos pela sua farmácia.  

Workshop O poder das pessoas - Lista com #10 hacks mais usados pelas farmácias e drogarias na formação de preço de venda

#8 Respeite sempre o PMC

As farmácias não podem vender os produtos a qualquer preço. Cada medicamentos possui o seu PMC (Preço Máximo ao Consumidor) que é definido pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

Entretanto não existe uma regra sobre um preço mínimo de venda. Em muitos casos é possível ter uma boa margem de lucro vendendo muito abaixo do PMC permitido.     

#9 Faça a atualização de preços dos produtos

Todo mês de abril de cada ano os medicamentos sofrem um grande reajuste de preço. É importante que sua farmácia faça a atualização dos preços de todos os produtos vendidos.

Se você deixar de fazer esse processo pode acontecer do PMC de um determinado produto ser reduzido e você continuar vendendo no preço antigo, ou seja, vendendo acima do permitido por lei.

Também pode acontecer o contrário, o PMC de um medicamento aumentar e você continuar vendendo no preço antigo, fazendo com que sua farmácia perca dinheiro.   

#10 Utilize o sistema da farmácia em seu favor

Existem sistemas de farmácia no mercado que permitem a farmácia realizar a atualização da formação de preço de venda de forma automática em todos os produtos cadastrados. Isso poupa muito tempo dos colaboradores, que não precisam ficar consultando manualmente as revistas de preço para alterar cadastro por cadastro no sistema.

Se o sistema atual da sua farmácia não for capaz de fazer o processo da formação de preço de venda de forma automática, é aconselhável procurar outras opções no mercado que vão facilitar a precificação dos produtos.   

Preencha o formulário nessa página e fale agora mesmo com um especialista para conhecer nossas soluções de precificação de produtos para sua farmácia.

Para ter mais dicas que vão melhorar os resultados do seu negócio, se inscreva no nosso Canal do YouTube e siga nossa página do Facebook!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: